Imprensa

Livro de Drenagem recebe Jabuti - Importante Prêmio Literário Brasileiro

Programa de pós-incubação do Parque Tecnológico da UFRJ começa atividades com duas empresas

O livro “Drenagem Urbana: Do Projeto Tradicional à Sustentabilidade”, que teve como um dos autores o sócio fundador da AquaFluxus Osvaldo Moura Rezende, foi premiado com o Jabuti, o mais importante prêmio literário brasileiro. A categoria do prêmio foi Engenharias, Tecnologias e Informática e os autores Osvaldo Rezende, Marcelo Miguez e Aline Veról foram premiados com o terceiro lugar.

Autores do livro Drenagem Urbana acompanhados pela representante da editora Elsevier. Da esquerda para direita: Vanessa Huguenin , Osvaldo Rezende, Marcelo Miguez e Aline Veról com Carolina no colo.

Fonte: Blog Cidade das Águas

Tratamento de efluentes com Wetlands e jardins filtrantes construídos artificialmente

Programa de pós-incubação do Parque Tecnológico da UFRJ começa atividades com duas empresas

Para ler a matéria, clique aqui.

Fonte: Revista TAE

Graduada AquaFluxus participa de matéria sobre tratamento de efluentes

Programa de pós-incubação do Parque Tecnológico da UFRJ começa atividades com duas empresas

A empresa graduada AquaFluxus, que oferece consultoria ambiental na área de recursos hídricos, participou de uma matéria da revista TAE, especializada em tratamento de água e efluentes. Osvaldo Rezende, sócio da empresa, deu uma entrevista sobre tratamento de efluentes com Wetlands e jardins filtrantes construídos artificialmente. Clique aqui para ler a matéria.

Fonte: Incubadora COPPE/UFRJ

Pesquisadores buscam soluções para limpar água e reduzir consumo

Nesta segunda-feira, dia 09 de fevereiro de 2015, a AquaFluxus foi convidada para falar na BAND um pouco sobre possíveis soluções para os problemas enfrentados durante épocas de estiagem, como a que o sudeste brasileiro vive agora. A reportagem foi feita na Incubadora de Empresas da COPPE/UFRJ e conversamos bastante sobre seca, estiagem, escassez, inundações, etc.
Veja a reportagem: Pesquisadores buscam soluções para limpar água e reduzir consumo.

Entrevista dos sócios da AquaFluxus para a Incubadora de Empresas da COPPE
Empresa formada por engenheiros da Escola Politécnica da UFRJ participa em projeto de cooperação internacional com a Comunidade Europeia

Nota Poli UFRJEx-alunos da Escola Politécnica da UFRJ já têm uma nova história de sucesso para contar: o nascimento da AquaFluxus, empresa de consultoria na área de recursos hídricos e meio ambiente, e já residente da Incubadora de Empresas da UFRJ. A AquaFluxus é uma empresa especializada em desenvolver projetos de drenagem sustentável com o auxilio de ferramentas de simulação computacional hidrodinâmica de escoamentos em rios e lagoas desenvolvidas na COPPE/UFRJ. A empresa possui uma relação especial com os Laboratórios de Hidrologia e Estudos do Meio Ambiente e de Hidráulica Computacional da COPPE, firmada em um acordo de cooperação técnico-científica, além de estar atualmente sediada na Incubadora de Empresas da COPPE. A equipe da AquaFluxus também conta com apoio de professores com larga experiência nas áreas de atuação da empresa, por meio de consultoria técnica especializada. A AquaFluxus está envolvida em um projeto de pesquisa internacional intitulado SERELAREFA, iniciado em 2010. Trata-se de uma parceria entre a União Européia e a América Latina, através de uma rede constituída por um grupo de cinco países: México, Chile, Brasil, Espanha e Itália. No Brasil o SERELAREFA está representado pelo Programa de Engenharia Urbana, da Escola Politécnica da UFRJ (PEU-POLI/UFRJ) e tem a coordenação dos professores Marcelo Miguez e Carl Albrecht. O projeto tem como objetivo discutir a requalificação de rios, entendendo melhor a dinâmica dos processos fluviais, os efeitos das intervenções antrópicas e quais podem ser as ações encaminhadas à solução de numerosos problemas. – Nossa participação em um projeto desta magnitude nos possibilita ter contato com profissionais experientes na área de requalificação fluvial, trocar conhecimentos e aprender novas técnicas, que poderão ser adaptadas e utilizadas em estudos de casos brasileiros -, explica uma das proprietárias da AquaFluxus, a ex-aluna da Politécnica, formada no Curso de Engenharia Civil e, atualmente, aluna de doutorado da COPPE/UFRJ, na área de recursos hídricos e saneamento. O projeto já está em curso e possui uma página na internet com mais informações, consulte o link.

Agência SEBRAE – Soluções para Prevenir Enchentes

Imprensa_Sebrae

Rio de Janeiro – Como avaliar o sistema de escoamento da água em uma área urbana? Que providências podem ser tomadas para evitar problemas como as enchentes? Que tipo de risco pode ocorrer com novas construções? Para responder a questões como essas, a empresa carioca AquaFluxus trabalha com modelagem matemática que utiliza diversas variáveis como as características do terreno e a ocupação urbana. A empresa simula situações como os efeitos da chuva sobre o sistema de drenagem atual e prevê possíveis intervenções para o controle das cheias.

Mestre em engenharia oceânica, Gustavo Spiegelberg, um dos sócios da AquaFluxus, critica as soluções empregadas usualmente, tais como, a construção de canais que levem a água para o mar o mais rápido possível. “A nossa proposta é a aplicação de uma drenagem sutentável planejada através de softwares de simulação, que permitem projetar a bacia hidrográfica como um sistema independente e, assim, possibilitar uma melhor avaliação de soluções e intervenções de engenharia para o controle de inundações”.

“O que propomos é manter o solo permeável. A construção de parques e praças, além das funções urbanísticas e estéticas, pode ajudar a absorver e reter a água da chuva. Este é um exemplo de solução que dispensa obras caras, permite melhor utilização do espaço urbano, garantindo sua função social e econômica, e contribui para um ambiente mais saudável”, afirma.

Qualidade da água

Outra ferramenta utilizada pela Aquafluxus fornece subsídios para projetos de engenharia em recursos hídricos. A simulação possibilita analisar pelo computador informações como a qualidade da água e o transporte de sedimentos.

“Na área de petróleo e gás, podemos avaliar o impacto da construção de um porto, quebra-mar ou dique ou mesmo realizar simulação de um derramamento de óleo. O software faz análises em até três dimensões, o que permite um detalhamento muito maior. Pelo computador podemos fazer todos os testes, considerando as condições atuais e os impactos de uma obra. Usamos a modelagem computacional para análises que hoje são feitas de forma empírica”, afirma Spiegelberg.

A AquaFluxus, que também tem como sócios Osvaldo Rezende e Matheus Martins, ambos mestres em engenharia civil, é uma das novas empresas da Incubadora do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisas de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ).

Serviço:

Agência Sebrae de Notícias: (61) 2107-9106 / 2107-9110 / 8118-9821 / 9977-9529
Central de Relacionamento Sebrae – 0800-570-0800

Contato

Entre em contato conosco.